domingo, 31 de agosto de 2008

Inquietude quieta...


Ando a aguardar...
Esse tão esperado dia!
O dia em tudo terá valido a pena
E quando ele chegar, trará a felicidade!
.
.
Ando a esperar...
Ser de fato bem vindo
Ser amado com todo o ardor!
E você olhará pra mim, com amor!


Ando a confiar...
No preenchimento deste vazio
Ser repleto e transbordar de alegria!
E ao meu lado, todos que amo!


Ando a alentar...
Nenhum sentimento triste!
Nenhum anão a me perturbar!
Só gigantes de beleza sem par!


Aqui espero...
Espero com ansiedade
O dia chegar...
Esperar sem saber o que há...
.
.
Talvez a me enganar?
Mas basta esta esperança
Em meu peito, para acalmar
Esse coração inquieto...

.
Nuwanda

Alma


Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Como que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.
Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Fernando Pessoa

sábado, 30 de agosto de 2008

Conversas


No fundo infelizes...
Dirigindo seus carros velozes

Infelizes...

E eu sempre vejo isso

Vejo suas tristezas, seus rostos distantes
Mesmo que você veja muitos "felizes"
No final, quando ela chegar
Verão que não valeu a pena...
e eu?
vou estar rindo!
Rindo de todos!
Mesmo que esteja triste...

Sempre preocupado
Existência!
É normal?

Quem se preocupa com isso?
Constantemente?
Sempre aquela sensação...
De que estamos jogando fora nossas vidas
Fazendo algo que não vale a pena

Que não era pra estarmos fazendo...



Nuwanda



sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Olhando minha sombra...


Lá vou eu caminhando
Não é sempre que posso voar...
Mas também nunca sozinho!
Será que você também esta assim?
A pensar tanto quanto eu?
Quantas sombras já amaste?
Quantas já deixaste?
E quantas te deixou?
Teu mundo deve ser tão difícil quanto o meu...
Será que você se acha "livre" como eu?
Presos um ao outro...
E quantos sonhos não carrega consigo!
Morrendo e nascendo a cada facho de luz!
Assim como eu...
Você está sempre onde estou
Porque não te conheço?
Talvez nunca chegue a te conhecer
Como a mim mesmo...
No teu mundo eu sou a tua sombra
E quando somes pra onde você vai?
Ou pra onde eu vou?
E agora te olhando já não sei mais
Quem é sombra e quem não...

.

Nuwanda





Amém


Viver a vida vivendo
Vivendo e sentindo
Sentindo todo o caos
Caos de sentimentos
Sentimentos tolos e complexos
Complexos e egoístas
Egoístas? Menos para nós...
Nós o sentimos em descompasso
Descompasso com o outro
O outro que jamais!
Jamais veremos como sendo sendo nós!
Nós? o que somos? o que é o eu?
O eu! representação falsa!
Falsa de nós mesmos...
Mesmo para aquele que nos ama
Ama"dor" de fantasmas
Fantasmas que eu e você idealizamos!
...
Mas como tanto se diz:
"A ignorância é uma benção!"
E mesmo discordando...
Digo amém!

.
Nuwanda

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Querer?


Tudo rápido, mecânico
Simultâneo e veloz
Decisões rápidas
Eis o tempo do relógio!


Assim vamos vivendo...
Engolindo a vida e a nós mesmos
Escolhas que não nos respeitam
O que você quer? O que eu quero?



Vivendo pelo relógio!
Morrendo pelo relógio!
E nos vemos em meio a isso
Incapazes, atônitos, confusos!


Eis a hecatombe de nossas vontades
E depois de tantas mortes e protestos
Ainda escravos, onde está a liberdade?
O que você quer? O que eu quero?

.
Nuwanda

domingo, 24 de agosto de 2008

Coragem


Olho para o céu e nele posso ver seu azul,

e posso sentir a brisa leve roçando meu rosto,

eu posso sentir saudade

eu posso até sentir vontade

E me falta coragem,

Eu caminho pelo desconhecido

e não tenho nada pra me guiar e nem meu.

Eu posso ser forte,

mas certamente eu posso cair ou me iludir

e até agora o medo me leva

e falta coragem,

coragem em decidir

de enfrentar e caminhar

mas quem sabe assim posso encontrar

o que estou a procurar.

.

jasmim

sábado, 23 de agosto de 2008

Cada dia...


Oh! Vigor da juventude!
Da qual jovem algum têm noção
Tudo que vive vai perecer
Mas não é isso que me preocupa
Mas o jeito de como perecer
Vale a pena envelhecer
Sentado à frente da tv ?
Ou morrer como Aquiles!
E quem não quereria?
Curto e glorioso!
Sem as agruras que o futuro trará
A cada dia mais frio, mais incrédulo
Mas não quer dizer que não lute
Tento me enganar dia após dia...
Mas quem mandou ser tão "inteligente"
Não consigo enganar nem a mim mesmo
Cada dia nova dor, nova tristeza, novo problema
Ou não, ou não, ou não!
Mas a cada dia que envelheço
Algo em mim fica mais forte!
Será que é minh'alma?
Conceito duvidoso eu sei, mas algo que reside em nós...
Qualquer um sabe disso, inclusive eu
E quem quer viver para sempre?


Nuwanda

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Desabafo


Novamente e novamente...
Acometido por loucuras
Burburinho de ideias
Miscelânea de sentimentos...


Novamente e novamente...
Errando sem aprender incesantemente
Do que me valem essas "qualidades"
Que brotam sem parar de meu interior...


Novamente e novamente...
Tenho que conter a mão maldita
Que não perde a ocasião em afrontar!
Escrever ao invés de falar?


Novamente e novamente...
Gritando sem emitir som algum
Assim desabafo em palavras
O brado de um covarde...

.
Nuwanda













Céu



Obedecer um sistema

Sistema "pré" definido

Existe loucura maior que essa?

Onde está o respeito por você ou por mim?

.

O céu deve ser assim

Um sistema "bem" organizado!

Tudo em seu devido lugar

Inclusive eu e você...

.

Tudo previamente elaborado

Não se pode olhar fora de hora

Definições?

Talvez nada possa ser definido...

.

Pelo menos aquilo que vale a pena

Como amar alguém...

Quem pode explicar um sentimento?

Loucos que proclamam delírios!

.

Foi feito um céu...

Previamente definido

Quem pode entrar? E quem não ?

A esse céu prefiro o inferno!

.

Nuwanda

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Mais duvidas?


Aqui estou novamente
Sentado em meio a nada
É certo que muitos diriam o contrario...
E salve os otimistas!


O que são conquistas?
O que vale a pena?
Dizem que viver é fazer escolhas
O tão belo livre arbítrio?


Quantas vezes já me destruí?
Quantas vezes já me refiz?
Porque nada parece valer a pena?
Você certamente vai rir...


Aqui estou novamente...
Saudade de algo que nunca tive!
Perguntas e mais perguntas!
E respostas que que não respondem...

Uma falta no peito e você a rir...


Nuwanda

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Erro


Tudo errado
Nada como deveria estar
Tempo jogado fora?
Tudo me soa um desabafo


A vida parece que só nos dá uma chance
E desperdiçamos o que foi valioso
Tudo errado
Nada esta em seu lugar...


Mas, Em meio ao caos
Voçê me encontrou
Ou eu te encontrei?
Tudo errado?


No erro te achei!
No erro te abracei!
No erro nos amamos!
Quem disse que eu queria acertar?

.
Nuwanda

Inércia


Tento andar e não consigo
Tenho sonhos e tenho medo
Oportunidades à minha porta
E hesitar é minha escolha...


Sempre é assim quando tememos
Um mar de mudanças evitamos
Por puro medo de viver
Deixamos de ser felizes em desencanto...



Assim os anos passam sem demora
E assim ficamos parados
Buscando desculpas para um medo vão
E covardes nos tornamos...


Então aqui estou eu
Parando, esperando, hesitando
Deixando o medo me vencer
Quando deveria estar voando...

.
Nuwanda

domingo, 17 de agosto de 2008


~ Soneto 17 ~

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

William Shakespeare

sábado, 16 de agosto de 2008

Garimpeiro


Aqui vou eu garimpando
Assim é a peleita de seguir amando
Com muita paciência a esperar
Em meio a tantos corações um encontrar...


Muitas vezes penso da peneira largar
Sei que você também esta a garimpar
E de tanto revirar fico acreditando
Que logo vou te encontrando...


Ai chego a conclusão que não és meu coração
E mais uma vez vejo além da fachada
Apenas mais uma dura e cruel ilusão
Que tenta enganar também se enganando


Assim busco em leito amargo
Um amor em meio a dor
Um coração que não seja frio
Busco um que tenha ardor...



Nuwanda

Egoísta




A todo momento estão a me chamar de egoísta
A todo momento: Arrogante! O dono da verdade!
Sempre escuto que devo ser humilde
Seja humilde! Seja normal!
.
Ai! De vós os humildes!
Os que nada sabem!
Dos educados que não ousam
Dos que têm medo...
.
Então grito!
Grito contra sua hipocrisia!
Vocês puxam os pés dos que querem voar!
Eu nao quero ser aquele que baixa a cabeça!
.
Sociedade medíocre!
Medíocre querem que você se torne...
Que se adeque as regras
Que siga para o abismo mudo!
.
Vamos saber tudo!
Vamos nos arrogar de amor!
Vamos atropelar esses zumbis!
Que tanto te fazem chorar...
.
Quero me embriagar de mim
Quero me embriagar de você!
Dois arrogantes tolos e egóicos...
Mas! Voando ao invés de andar em fila!
.

Nuwanda








quinta-feira, 14 de agosto de 2008


Gosto quando te calas

Gosto quando te calas porque estás como ausente,
e me ouves de longe, minha voz não te toca.
Parece que os olhos tivessem de ti voado
e parece que um beijo te fechara a boca.

Como todas as coisas estão cheias da minha alma
emerge das coisas, cheia da minha alma.
Borboleta de sonho, pareces com minha alma,
e te pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.
E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.
E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:
Deixa-me que me cale com o silêncio teu.

Deixa-me que te fale também com o teu silêncio
claro como uma lâmpada, simples como um anel.
És como a noite, calada e constelada.
Teu silêncio é de estrela, tão longinqüo e singelo.

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.
Distante e dolorosa como se tivesses morrido.
Uma palavra então, um sorriso bastam.
E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.

Pablo Neruda

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Poeta


Me propuz tarefa árdua
De entender o inteligível
Com uma força dentro do peito
Que reproduz inúmeras paixões
Menos a paixão que trago comigo...
Fogo! Chama voraz!
Quente o bastante para consumir o mundo...
Consumindo a lareira onde queima
Então assim sigo vivendo...
Consumido por tantos fantasmas
E uma única folha de papel
Companheira, amiga, amante...
Me propuz árdua tarefa...
Sou louco!
Sou poeta...


.

nuwanda

Idas e Vindas


Quantas vezes percorri este caminho?

Quantas idas e quantas vindas

Sempre o mesmo caminho

A mesma paisagem de pedra

Porém a cada percurso

Se modifica algo em mim...

As vezes o percorro angústiado

Tornando-o mais cinza do que ele é

As vezes o percorro enamorado

E como ele se torna mais vivo!

Mas no fim é sempre o mesmo

Caminho de pedra cinza e triste

Eis a mágica de ser humano

Imperfeito...

Mutante...

Amante...

Resignificador de si mesmo

Transliferador de coisas sem importância

Como este caminho...

Cheio de idas e vindas

No qual tanto ando...



Nuwanda




terça-feira, 12 de agosto de 2008

Antítese


Paradoxos de se viver
Seres que vivem para a morte...
Seres?
Para onde foi a humanidade...



Altruísmos egoístas...
Mas ainda assim altruísmos?
ismos...
Apenas pego tua mão...



Inocência explorada
Corrompida...
Mas ainda inocência?
Apenas te abraço...



Guerreiros a lutar
Sua luta é justa?
Quantas lutas existirão?
Eu apenas a sonhar...
.
Utopias para viver
Em corações despedaçados...
Ainda assim utopias?
Ainda estou a caminhar...
.
Eu a te amar
E você a me desprezar...
Ainda assim amar?
Amar...
.
Antítese na alma...
.
Nuwanda






Nuwanda



Quero saber



Quero saber se você vem comigo
a não andar e não falar,
quero saber se ao fim alcançaremos

.

a incomunicação; por fimir com alguém
a ver o ar puro,a luz listrada do mar de cada dia
ou um objeto terrestree não ter nada que trocar
por fim, não introduzir mercadorias

.

como o faziam os colonizadores
trocando baralhinhos por silêncio.
Pago eu aqui por teu silêncio.
De acordo, eu te dou o meu
com uma condição: não nos compreender
.
Pablo Neruda

O impossivel

.
Como amar uma sombra?
Se sombras não podemos tocar...
Talvez parar de te escutar?
Talvez parar de te sentir?

.

Estais tão arraigada em mim
Que já me é impossivel
Sequer desejar não te desejar...
Oh! Amor! Como é difícil suportar...

.

Porque não consigo te vencer?
Sou reduzido pelo teu olhar...
Nada mais posso dizer perto de você
.

Apenas te amar...
Sem te tocar...
Apenas amar...
.
Nuwanda


domingo, 10 de agosto de 2008

Desbravadores


Quando alguém evolui

Também evolui tudo a sua volta

Quando buscamos ser melhor do que somos

Tudo que nos rodeia fica melhor

És livre para decidir

Para tomar decisões

Embora compreenda que está sozinho

Tome suas decisões com coragem,

Despreendimento e as vezes,

Com uma certa doze de loucura

Só entenderemos à vida

E o universo

Quando buscamos respostas

Então tuda claro se tornará

Aprender algo, significa entrar

Em contato com um mundo desconhecido

Onde as coisas mais simples

São as mais extraordinárias!

Ouse mudar!

Desafia-te!

Não tenha medo de retaliações

Insiste uma!

E outra!

E outra vez!

Recorde que sem fé

Pode-se perder uma batalha

Que parecia ganha

Não se dê por vencido!

Lembre-se de saber sempre o que quer

E comece de novo!

O segredo esta em não ter medo de errar

E de saber que é necessario

Ser humilde para aprender

Tenha paciência para encontrar o momento exato

Para se alegrar de tuas conquistas

E se não for suficiente

Analiza as causas...

E tenta com mais força!

O mundo está nas mãos

Daqueles que têm a coragem de sonhar

E de correr os riscos de viver...

Seus sonhos...



Autor desconhecido




sábado, 9 de agosto de 2008

Caixa de Pandora- parte II


.
Esse é o meu castigo
Querer sempre mais
Saber sempre mais!
Mesmo que talvez nao saiba nada...
Mas agora com você em minhas mãos...
.
Medo? Temor? Terror!
Nada temo! Como prometeu!
Preciso abrir desafiando todos os perigos!
Abrir a caixa é olhar pra si mesmo...
E encarar a verdade inaudita!
.
Logo o seu conteúdo
Dessa caixa maligna
Nem zeus pode prever!
Só eu e você...
.
Nuwanda

Ensaio de um soneto...


Um dia o amor veio...

Em minha direção deixando-me estagnado

Logo que percebi dexei-o

Mas virou-se para mim exaltado!

.

Desdenho do destino, preiteio

Amor que não seja um fado

Encarou-me este demônio

Só um olhar desordenado

.

Penso agora neste sentir

O que me disse o amor?

Ao invés de pensar persistir!

.

Amor! Teu sentir é mentir!

Teu olhar é ardor!

Que já deixou de existir...

.

Nuwanda ( que odiou escrever sob regras )

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

De um lado cantava o sol

De um lado cantava o sol,
do outro, suspirava a lua.
No meio, brilhava a tua
face de ouro, girassol!

Ó montanha da saudade
a que por acaso vim:
outrora, foste um jardim,
e és, agora, eternidade!
De longe, recordo a cor
da grande manhã perdida.
Morrem nos mares da vida
todos os rios do amor?

Ai! celebro-te em meu peito,
em meu coração de sal,
Ó flor sobrenatural,
grande girassol perfeito!

Acabou-se-me o jardim!
Só me resta, do passado,
este relógio dourado
que ainda esperava por mim . . .

Cecilia Meireles



Estrelas



Estrelas sobre minha cabeça...


Estrelas...


De beleza incomparável


Tão belas de se ver...


Só não podemos toca-las...


Mas assim são as estrelas


Belezas que já não existem mais


Reflexos do que deixou de existir...


Assim é a beleza...


Uma grande ilusão


Sobre nossas cabeças...


Estrelas...


Só que agora não mais sobre mim!


Pois posso andar sobre elas...


Estrelas cadentes!


Caem por todos os lados...


Elas agora são meu tapete


Meu tapete estrelado...


Em meio ao caos...


Pois estou além das estrelas!


Nuwanda

domingo, 3 de agosto de 2008

Fadas







Cercado por fadas!

Aqui estou eu...

Assim é a vida!

Surpresa a cada esquina...

Então aqui estou eu...

Tendo fadas por companhia!

Por uma curva sinuosa caminhamos...

As vezes nos deixamos levar por tristezas

Mas a vida é uma surpresa a cada esquina!

Principalmente eu

O pessimista!

Cercado por fadas!

Sonho belo e agradavel

Nas tenras florestas do sentimento...

Obrigado...


Nuwanda



sábado, 2 de agosto de 2008

Solidão


Hoje estou só...

Essa solidão eu quero...

Não me roube este prazer

Se não pode dar o que busco...

Por isso hoje estou só...

Vou andar em meio as estrelas

Elas serão minhas guias!

Arautos da minha solidão

hoje estou só...

Ninguem nas ruas

As sombras me ocultam

Silêncio quebrado por meus passos

Não me pergunte para onde vou

Nem eu mesmo sei...

Hoje ando só...

As estrelas e o luar comigo...

Sigo as batidas de meu coração

É ele de quem tanto me escondo...

Mas hoje não...

Não haverá tristezas

Sigo teu ritmo

Logo caminho acelerado!

Demiurgo de minha existência

Não mais te desapontarei!

Não serei mais o covarde!

Por isso hoje grito só!

É a solidão que busco...


Nuwanda

Espelho



Ousei passar o espelho


Além de minha aparência


E me vi aqui dentro de mim


Mundo magico!


Porém perigoso e confuso!


mas dentro dele tudo é possivel!


Porque nos afastamos tanto de nós mesmos?


Hoje não!


Hoje não há duvidas nem incertezas!


Hoje estou aqui...


Dentro de mim!


Que força!


Êxtase! Loucura! Amor!


Hoje não afundarei em mim mesmo!


Hoje sou alado!


Dentro do mais belo dos universos!


Nada mais reflete!


Nada mais engana!


Pois estou além do espelho!



Nuwanda



Alem das nuvens



Sou aquele que ousa subir na mais alta montanha!


Além das nuvens ouso subir!


Tenho frente a mim o mundo inteiro!


Quantas vezes já me joguei deste penhasco?


Não importa...


Vou me jogar novamente!


Pois também posso voar!


Acima de qualquer um!


E posso te ver


Daqui de cima teus problemas e os meus


São tão pequenos....


Nada me afeta


Nem mesmo os fortes ventos que tentam me derrubar


A intensidade de minha alma me deu asas!


E essa é a força que tenho agora


Posso rir de tudo!


Pois estou alem das nuvens...



Nuwanda


sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Dualismo




Teu rosto é claro se meu sonho é escuro,

só vens me visitar quando não quero,

andas perdido quando te procuro,

se mais confio em ti mais desespero,

se buscas o passado sou futuro,

Se dizes a verdade és insincero,

se temo tua face estou seguro,

se chegas ao encontro não te espero.

Bem sei que em nosso olhar refulge o nada,

que somos, afinal, a negação mais funda,

mais sombria e desolada.

Como lograr, meu Deus, reparação,

enquanto segues longe pela estrada,

de nossa irreparável solidão?


marco Luchessi