sábado, 10 de maio de 2014

A flor que nunca te dei


Sonhei certa vez com flores de anis
Belo presente para promessas de um infeliz
Lírios tão belos como os olhos teus
Narcisos presos entre a ira de deus...

E nosso amor nunca foi tão florido!
Chuva de rosas e corações acendidos...
E tudo é luz nas pétalas dos girassóis
Felicidade incontida entre os rouxinóis!

E acordo deste sonho tão bonito!
Ilusões entre devaneios benditos...
Dou-me conta dos meus inúmeros fracassos!

Lembrando-me desta flor que nunca existiu... Fico contente!
Nas tempestades de nosso amor sobrevivente...
Sentimos as cores e os perfumes de todas as flores...


[Impregnado em nossos lençóis...]

Nuwanda.