sexta-feira, 22 de maio de 2015

Montanha russa


Nosso amor é assim
Como as montanhas russas
E subimos docemente à felicidade
E descemos velozmente à ferocidade


E vivemos o mais louco dos amores
Subindo e descendo nesta vida enlouquecida
Quais amores têm nossa rotina?
Nosso desejo? Nossa reciprocidade?


Assim seguimos vivendo
Assim seguimos amando
Um grande amor com certeza!


E amamos e sentimos
O que muitos em muitas vidas
Só verão nos filmes...


nuwanda...

(Im)perfeição


Vida!
Abraço!
Flor!
Alegria!


Mas, como diria o poeta:
"No meio do caminho tinha uma pedra"

(...)

Nossos segundos não são os mesmos dos normais!
Nosso tempo é vivido, não entendido...

E mesmo assim paradoxalmente,
Somos aqueles (poucos) que entendem!
O sentido da própria vida...


"Tinha uma pedra no meio do caminho"

(...)

E se tudo fosse perfeito em nossas vidas
Não seria esse o mais belo dos sonetos?
Desconexo, imperfeito, e ainda há beleza no firmamento!
Advento de um novo dia que há de vir...


"Nas pedras que ficaram para trás..."

(...)

Nuwanda...(Juro que tentei escrever um soneto)