segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Caçador de ilusões




Preciso urgentemente de ilusões coloridas
De quaisquer tamanhos, nem precisam ser formosas
Arranja-me uma pequena do tamanho da minha vida
Mas que não seja tão frágil como as pétalas de uma rosa...

Quantas ilusões eu tinha! Tantas! Todas!
Nos meus tempos de primavera! Doce menino!
Dai-me a ilusão pretendida e calmamente me acomoda,
E nos muitos alaridos de agradecido já não serei perdido...

Traga-me a ilusão que se recicla e não diga nada!
Olha-me como quem me deu a vida novamente,
E feliz apenas contemplemos o final desta caçada...

E quando mais! Essa ilusão não servir!
Saberemos que a busca recomeçou desesperadamente!
Nesta vida onde tantos estão a dormir.





Nuwanda... Acordado!

"Dedicado à você Patrícia, companheira na árdua jornada de pensar diferente em um mundo de iguais..."