quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Escrevivendo




Estranho desejo de ferir-me
Por sentimentos tão confusos
E ao mesmo tempo tão reveladores
Nesse cotidiano tão vazio...

Nessas linhas tão inquietantes
Que me dizem o que tento esconder
E que para alguns soa tão sem sentido
Onde para mim tudo é tão visceral...

Nesse exercício egoísta e inútil
Tento entender este que escreve
Desvelar o vazio que na alma sinto
Nas palavras que tanto me apavoram...

Quem dera um dia seja honesto
E revele-me o que tanto anseio
Aquietando o espírito que sofre
Dissipando as brumas em mim contidas...


Nuwanda...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Transcendente




Sonho que meus desejos
São idênticos ao de toda essa gente
Falseando a felicidade entorpecente
Sendo feliz na mediocridade que ensejo?

Mas acordo deste sonho de normais!
Que vão para a cova após suas vidas de mausoléu...
Nos semblantes ignorantes da felicidade que decai
Alegrando-me pelo desconforto que em mim faz escarcéu!

Não terei a dúvida do que existe além da montanha!
Destas vidas diminutas que se repetem
Em suas agonias de solidão crente de não vir ninguém...

[Por não ser ninguém.

Desta forma encaro tudo que me dilacera!
Dando risadas adversas que só eu posso ouvir
Deixando para trás quem jamais transcenderá...




Nuwanda...( Encontrando felicidade na adversidade...