quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

VAZIO


Madrugada, e como tentei dormir hoje
Olhei o teto por alguns minutos
Nessas horas como os pensamentos nos importunam,
Depois tentei escrever algo que talvez
Coloca-se para fora o que sinto agora
Um poema?
Mas, como sinto se esvair todas as minhas paixões!
Como ousar um poema?
Quando acordar? Deste sono de tantos anos?
E simplesmente deixar-me ir...
VAZIO!
Não poderia existir outra palavra agora...
Talvez o fim do "poeta"...


Nuwanda...Largando o lápis.