quarta-feira, 29 de junho de 2011

Entrelinhado



Existe algo tenebroso na escuridão
Que espreita e rouba o sossego
Algo inquietante sempre latente
Desespero sutil cotidianamente...



Existe algo que entristece
Quem ousa olhar as próprias dores?
Lágrimas descabidas da ausência dos porquês
Existências que se questionam incessantemente...



Existe algo que permanece escondido
Sob os espelhos em pedaços
Caleidoscópios de verdades destruídas
Que não se apagam, misturam-se convenientemente...



Existe algo incomensurável no espectro sombrio
Pairando sob as vidas despercebidas
Agonia inoportuna de se olhar esse vazio
Que... Para alguns não está tão vazio assim...

Nuwanda... Pra quê?

Nenhum comentário: